30 de jul de 2012

Buquê de noiva. Dos tradicionais aos mais inusitados.

Todo mundo sabe que a noiva e o buquê tem que ser uma coisa só. Uma composição perfeita.
As vésperas do meu casamento, escutei que a noiva tem que amar o seu buquê.
Se não for assim, todo o casamento já vai por água a baixo. Dramático não ? Pode até ser, mas para quem está ali, sonhando com o momento perfeito o tal buquê (que para muitos não passa de algumas flores) tem um significado muitoooo especial.
O costume da noiva levar um buquê começou na Grécia Antiga. Naquela época eram constituídos por ramos de ervas e alho para atrair bons fluidos e afastar o mau-olhado.

No período da Idade Média as noivas faziam o trajeto a pé para a igreja, no qual recebiam flores, ervas e temperos para lhe trazerem sorte e felicidade, formando assim, no final do trajeto, um buquê. 
Foi na Europa que os arranjos tornaram-se mais sofisticados, com flores exóticas.
Na época Vitoriana, século XIX, era impróprio declarar abertamente seus sentimentos, criou-se então a “Linguagem das Flores” para demonstrar suas intenções sem falar uma palavra sequer. 
Os buquês passaram a ser escolhidos pelo significado das flores. 
Na antiga Polônia, acreditava-se que, colocando açúcar no buquê da noiva, seu temperamento se manteria "doce" ao longo do casamento (romântico, não).
O buquê nem sempre precisa combinar com os arranjos da festa e sim com o estilo da noiva.
Alguns estilos:

  • Romântico: Buquês estilo redondo ou braçada, nas cores vermelha, rosa, pink. Pode-se sugerir os tons sobre tons e acabamentos com laços e fitas.
  • Exóticos: Flores exóticas com mistura de cores, padrões e texturas.
  • Delicado: Formato redondo, cores suaves, tamanho proporcional. Acabamento sutil com pequenas flores e cetim.
  • Clássico: Buquês formais, redondos ou em cascata. As rosas, tulipas e orquídeas são as mais indicadas.
  • Moderno: Flores e combinações mais inusitadas. Cores mais fortes e contrastantes. Formato redondo “desestruturado” com folhagens e elementos diversos.





Assim como os formatos a escolha da flor é muito importante, para o que ela pretende passar para os convidados, no qual representa muito da personalidade da noiva. Como por exemplo:
  • Cactus: perseverança
  • Copo de leite: reconciliação
  • Tulipa: declaração de amor
  • Coroa imperial: majestade, poder
  • Margarida: inocência, virgindade
  • Camélia: beleza perfeita
  • Cravo amarelo: desprezo
  • Lírio: pureza
  • Miosótis: fidelidade
  • Flores do campo: juventude
  • Celósia: fertilidade
  • Cravos variados: rejeição
  • Crisântemo: paixão
  • Rosas: amor em suas várias formas
  • Dália: crescimento
  • Hortência: frieza, indiferença
  • Dedaleira: falsidade
  • Gerânio escuro: tristeza
  • Dente-de-leão: oráculo
  • Gérbera: vida, energia

Antigamente as noivas confeccionavam dois arranjos. Um era abençoado por um sacerdote e preservado numa redoma de vidro que era exposto na sala de casa ou no quarto. 
O outro era arremessado para as mulheres solteiras da festa, sendo dessa maneira a próxima a se casar, ritual que é realizado até hoje nas cerimônias.
Com o tempo os buquês de noivas foram substituídos de ervas por flores e ao final da cerimônia a noiva joga o Buquê. 
A sabedoria popular possui diversas crenças para quem pegar o buquê onde dizem que será a próxima a casar ou que terá uma vida prospera.
A modernidade e a criatividade aqui conta muito. Não só existe o buquê que a noiva joga para as convidadas como o buquê do noivo. Isso mesmo, mas nesse caso não é composto de flores e sim uma caixa vazia de whisky. Assim, o sortudo que pegar a caixa vazia leva a garrafa cheia para casa.



Além de jogar o buquê, a caixa de whisky, o famoso sapo de pelúcia (para virar príncipe depois) e olha que fofo esse buquê de Santo Antônio !!!! Além de lindo, deve ser tiro e queda. Quem será a sortuda que vai pegar esse ????





Nenhum comentário:

Postar um comentário